Visita ao Museu do Amanhã – Rio de Janeiro – em uma tarde

Vejo muitas novidades, fotos e publicações falando sobre aquele “novo” museu do Rio de janeiro, o Museu do Amanhã. Em uma viagem para Niterói, vi que tinha um tempo livre entre a chegada no Rio e o horário em que eu precisava estar em Niterói e decidi fazer uma parada rápida pra conhecer esse novo museu.

Esse texto será para as pessoas que nunca foram e queiram conhecer. Vá que você vai viajar e sua escala seja o Rio ou você vá realmente para o Rio e queira conhecer o museu. Vou tentar falar como chegar, valores e qual foi a minha experiência nessa visita.

De forma bem breve, como consta no site do museu, o museu representa:

O Museu do Amanhã é um museu de ciências diferente. Um ambiente de ideias, explorações e perguntas sobre a época de grandes mudanças em que vivemos e os diferentes caminhos que se abrem para o futuro. O Amanhã não é uma data no calendário, não é um lugar aonde vamos chegar. É uma construção da qual participamos todos, como pessoas, cidadãos, membros da espécie humana.

Confira mais informações sobre o museu, horários e programação no site do Museu. O Museu do Amanhã é totalmente diferente dos outros tipos de museus, ele não tem só aquelas exposições onde você para e fica olhando, a ideia do museu é ser totalmente interativo. O audiovisual é o forte e há conteúdos onde você pode interagir com o seu cartão de entrada. Mas, vamos pelo início.

Seja qual for a sua origem, a ideia central do texto será a mesma. No meu caso, saí do Aeroporto de Guarulhos (GRU) às 13:50. Cheguei no Aeroporto Santos Dumont (SDU) por volta das 14:19. Independente do aeroporto SDU ou Galeão, o jeito tranquilo e rápido de chegar no museu é pegando um Uber (ou outro app/serviço de transporte). Pedi um Uber do SDU para o Museu e ficou em R$ 10,27 e demorou cerca de 10 minutos pra chegar. (Temos uma página falando sobre vários meios de transporte que você possa usar, confira na seção de mobilidades)

Primeira impressão do Museu

Ao chegar, a primeira impressão que tive é que o local é bem inovador e bonito. Uma construção grande (veja foto), com aparência limpa e uma arquitetura bem diferente. E olha que não sou expert na área. Achei realmente enorme e a primeira ideia que tive é que parece aquelas naves alienígenas que caiu ali haha.

Ingresso

É possível comprar seu ingresso na portaria do local, mas como eu não queria perder tempo em filas e não tinha tempo para imprevistos, resolvi comprar o ingresso online no site do museu. A bilheteria do museu fica localizado bem na entrada do prédio. No momento em que passei, não havia filas e estava bem tranquilo. Mas, eu recomendo comprar online. Lembrando que ao comprar online você escolhe o horário que você vai entrar no local. Eu entrei um pouco antes e não houve problemas.

Guarda Volumes

Como eu ia para Niterói após a visita e estava carregando uma mala pequena, um guarda volumes seria ótimo para que eu não ficasse puxando a mala pelos cantos. Antes de ir, eu já tinha visto que há guarda volumes pagos no aeroporto SDU (que fica bem na saída do aeroporto) e o valor fica em torno de R$40/dia. Mas, há guarda volumes gratuitos no Museu. Mandei e-mail para eles e me responderam da seguinte forma:

O Museu dispõe de guarda-volumes gratuito, com espaço limitado e sujeito à lotação.Não é permitida a entrada com mochilas, malas ou bolsas com dimensões superiores a 50 cm x 60 cm

Levei uma mala pequena, daquelas nos padrões de levar dentro do avião, e uma mochila. Deu tudo certo, consegui deixar a mala e a mochila juntas. Foi bem tranquilo e o atendimento foi rápido e excelente. O Guarda volumes funciona só até as 18 horas.

Interior e áreas do museu

Ao entrar no museu há a bilheteria, o guarda volumes, um café e a lojinha do local. O museu tem dois andares (térreo e primeiro andar). No térreo  há o laboratório do museu (que infelizmente não pude ir) e a área de exposições. Comecei indo por essa área. A exposição não foi tão grande e gastei menos de 20 minutos no local. Ao sair da área de exposições, resolvi subir para o próximo andar.

É no primeiro andar que a mágica acontece. É lá que está o conteúdo principal do museu. No jeito que está hoje (maio/2019), eu recomendo que você vá pela direita e veja o primeiro painel (foto acima) com a explicação da primeira exposição. Após ver essa painel, vá para a exposição que fica a esquerda (foto abaixo). Depois, vai seguindo e fazendo esse zigue e zague. Isso é bom pois você vai vendo uma explicação da exposição antes de entrar e somente ver o conteúdo. Obviamente que, se você for direto por todas as exposições, sem olhar os painéis, você não vai perder ou ficar sem entender completamente o conteúdo de cada uma.

A primeira atração é um vídeo em 360 graus. É como um cinema com duração de uns 12 minutos e com a tela em 360 graus. Dentro do local não pode usar o celular. Mas, a foto do exterior do local é a seguinte (compare com a maquete na imagem acima):

Não vou entrar muito em detalhes sobre as outras exposições, até para não estragar a sua visita, mas digo que vale a pena fazer a visita ao local. De qualquer forma, você pode conferir as outras fotos e vídeos que eu tirei nessa visita no nosso álbum no Facebook. (Aproveite e curta a nossa página). Creio que em 1 hora, no máximo, você consegue visitar toda essa parte do museu.

Alimentação

Há um café dentro do museu e um restaurante do lado de fora que eu acabei não visitando. Mas, perto da saída do museu indo para a rua você encontrará um McDonalds bem em frente. Há também outros locais como barraquinhas, cachorro quente e etc na parte de fora do museu.

Considerações finais

O Museu do Amanhã é realmente um lugar bem diferente de outros museus. O espaço é enorme, muito bonito e tem muita coisa pra se ver, mas numa visita de 2-3h você consegue ver tudo. Eu fiz um passeio de umas 3 horas, bem tranquilo e consegui passear bem, sentar, passar na lojinha e tirar algumas fotos. Acho que mesmo se você for com uma criança, você não vai gastar mais de 3 horas visitando o interior do local. A parte de fora do museu é muito bonito, bom para tirar várias fotos e descansar um pouco.

Realmente recomendo a visita ao museu pra quem for passar pelo Rio e principalmente para os que pegam uma escala de umas 5h ou mais em algum aeroporto da cidade. Vale a experiência e é sempre bom visitar um museu de vez em quando.

Espero que tenham gostado do texto e das informações. Lembre se de sempre verificar o site oficial do museu em caso de dúvidas.

Caso você queira fazer alguma sugestão, poste nos comentários aí abaixo. E, não se esqueça de compartilhar nosso blog com seus amigos.

Valeu e até a próxima.

Todas as fotos foram tiradas por mim.

Estevão Teixeira

Fundador em SocializeTrips
Mestre em ciências e doutorando em Física. Fiz intercâmbio para os EUA 2013, gosto de viajar e compartilhar boas ideias. Idealizador do Socialize Trips.
Estevão Teixeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *